Prates diz que Lula não deu ordem sobre dividendos da Petrobras e vê 'muita espuma' na discussão

HomePolítica

Prates diz que Lula não deu ordem sobre dividendos da Petrobras e vê 'muita espuma' na discussão


Presidente da Petrobras se reúne com o Lula nesta segunda (11), mas garante que conversa já estava agendada e não foi convocada após a empresa perder R$ 55,3 bilhões em valor de mercado na semana passada. Jean Paul Prates, do PT, foi indicado pelo governo Lula para presidir a Petrobras
Adriano Machado/Reuters
O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, falou nesta segunda-feira (11) com exclusividade ao blog e ao Estúdio i sobre a decisão de adiar a distribuição de dividendos extraordinários aos acionistas. Na última sexta-feira, a empresa perdeu R$ 55,3 bilhões em valor de mercado após frustrar as expectativas dos acionistas.
Prates disse que a decisão não partiu de ordem do presidente Lula (PT).
“O presidente não deu nenhuma ordem sobre a questão dos dividendos. Nós estamos discutindo isso com o acionista majoritário dentro dos espaços possíveis. Houve uma discussão a tempo do anúncio do balanço, havia necessidade de fechar o balanço. E foi definido que a gente adiaria a discussão”, disse.
VALDO: Lula e Petrobras: disputa interna por controle da estatal irrita investidores e prejudica cofre do Tesouro Nacional
ENTENDA: por que as ações da estatal despencaram na sexta
Os dividendos são uma parcela do lucro da empresa que é repartida entre os acionistas. O balanço financeiro de 2023 foi divulgado na quinta-feira (7) e, além de ter vindo abaixo das projeções, também frustrou as expectativas do mercado — que esperava um pagamento de dividendos extraordinários.
Foram anunciados R$ 14,2 bilhões em dividendos para o trimestre, dentro do modelo de pagamento mínimo da companhia.
O Conselho de Administração da Petrobras chegou a propor o pagamento de dividendos extraordinários aos acionistas, uma fatia maior do lucro. Mas os representantes do governo votaram contra a proposta, que acabou rejeitada.
O presidente da Petrobras diz que vão ter que decidir o que fazer com os dividendos, mas explica que os dividendos extraordinários que restaram de 2023 “não podem ser usados para outra coisa” e diz que a discussão “é espuma”.
“Ficamos com aquela decisão pendente. Os dividendos extraordinários, é bom que se diga, se distribuem 100% para os acionistas todos, inclusive o governo, que tem 37% disso, ou fica tudo numa conta de reserva. Eu parti com a diretoria para uma proposta intermediária, uma proposta de 50% a 50%. A gente divide uma metade, distribui, afinal esses acionistas também acreditaram na nossa gestão”, diz Prates.
Apesar da negativa de Prates ao blog, a colunista d’O Globo Malu Gaspar apurou que Lula arbitrou pessoalmente na disputa da Petrobras e decidiu que a empresa não pagaria dividendo extra.
O presidente definiu que todos do conselho deveriam votar com o governo, ou seja: contra os dividendos. Apesar disso, Prates não seguiu a orientação e se absteve na votação.
A postura motivou uma ala do governo Lula 3 a pressionar pela saída de Prates do comando da empresa.
Reunião com Lula
Sobre a reunião com Lula nesta segunda, Prates diz que já era um compromisso agendado e não tem como foco a questão dos dividendos.
“Essa atualização junto ao presidente estava combinada para hoje. É claro que o assunto de dividendos deve surgir no final da reunião e a gente vai falar um pouco sobre isso, mas o objetivo da reunião não é esse”, conclui.

Fonte: clique aqui.

Você bem informado!

COMMENTS