HomeSalvador

Central de acessibilidade da Prefeitura vai promover mais inclusão de pessoas com deficiência auditiva e visual em Salvador

Fotos: Betto Jr. / Secom PMS

Para promover um avanço na inclusão social de pessoas com deficiência auditiva e visual, proporcionando o desenvolvimento da autonomia e potencialidades desse público na cidade, a Prefeitura inaugurou nesta terça-feira (12) a Central de Acessibilidade Comunicacional de Salvador (Cacs). Localizado na Rua Torquarto Bahia, Edifício Amerino Portugal, no Comércio, o espaço vai realizar capacitações e garantir atendimentos em audiodescrição e Libras nos serviços públicos municipais.

A entrega da estrutura foi feita pelo prefeito Bruno Reis e pelo titular da Secretaria de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esportes e Lazer (Sempre), Júnior Magalhães. A iniciativa é fruto de um compromisso do planejamento estratégico da atual gestão, dentro do eixo Capital da Igualdade Social. 

“No passado, não muito próximo, não existia nenhuma política nessa cidade voltada para as pessoas com deficiência, em especial aos surdos, cegos e de baixa visão. Hoje nós temos uma política institucionalizada e uma série de ações que viraram referência no Brasil. A central que entregamos nesta manhã era mais um compromisso. Esse local poderá formar anualmente 120 pessoas em audiodescrição e 200 pessoas em Libras, além de ter a capacidade de realizar 5 mil atendimentos nos serviços”, destacou Bruno Reis.

O prefeito aproveitou a ocasião para falar dos esforços do município em avançar nas políticas inclusivas, citando a ampliação de parcerias com as organizações sociais. Ele anunciou que um edital no valor de R$12 milhões será destinado para o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, que prevê ações para deficientes que integram essa faixa etária.

Funcionamento – A Cacs foi montada para que intérpretes atendam de forma virtual e, se houver necessidade, presencialmente as demandas das pessoas surdas, cegas e com baixa visão que residem na cidade, oportunizando o atendimento com acessibilidade, qualidade e brevidade necessárias, nas áreas de saúde, educação, dentre outras. Uma equipe fixa composta por cinco intérpretes de Libras e dois audiodescritores atuarão no local.

Por exemplo, se uma pessoa surda ou cega precisar de um atendimento público, ela pode solicitar o auxílio da central em busca de mediação. Isso vale também para os servidores, a exemplo dos médicos que podem contatar o espaço, a qualquer momento, se ocorrer alguma dificuldade nas consultas.

A Cacs funcionará das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. Para entrar em contato com um intérprete de Libras, basta acionar os telefones (71) 99210-5814, 99694-1101, 99605-1101, 99970-1101 e 99997-1101. Já quem necessitar de serviços para pessoas com deficiência audiovisual pode contatar a central através dos números (71) 99910-1101 e 99722-1101.

“A central vai oferecer capacitação a servidores e pessoas da sociedade civil. Já começamos as qualificações com uma turma da Salvamar. Estaremos com turmas do CadÚnico, da Saúde. A ideia também é que o espaço, em algum momento, funcione por demanda. Se alguma secretaria tiver algum evento específico ou festivo, por exemplo, ali haverá intérpretes promovendo inclusão”, explicou Júnior Magalhães.

O gestor disse que novas ações estão em andamento para ampliar a acessibilidade de PCDs na capital baiana, como a elaboração do Plano Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência. A estimativa é que o documento seja lançado até o final deste ano.

Pleito atendido – Representantes de instituições sociais que atendem ao público com deficiência em Salvador acompanharam a inauguração da nova Central de Acessibilidade Comunicacional e aprovaram a implantação da estrutura.

“Hoje é uma data histórica para o segmento. A central vai possibilitar que as pessoas cegas e com baixa visão do município tenham realmente acesso a todo serviço do poder público. Infelizmente, a barreira atitudinal impedia que isso ocorresse, pois infelizmente a maioria das pessoas e dos órgãos não é preparado para atender essa população. Então eu avalio esse novo espaço como um avanço muito grande, que faz parte da luta e dos apelos feitos ao longo dos anos”, opinou o presidente da Associação Baiana de Cegos e vice-presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Salvador (Comped), Everaldo Neves.

Rose Lopes, do Centro de Surdos da Bahia (Cesba), também celebrou o funcionamento da central. “Estou muito feliz com esse projeto. A cidade ainda tinha pouca comunicação para os surdos, e a Cacs chega para nos dar esse apoio, fortalecendo esse movimento pela busca de mais acessibilidade e inclusão”, complementou.

Reportagem: Vitor Villar e Thiago Souza / Secom PMS

COMMENTS