Asma: o que é, sintomas, causas, tipos e tratamento

HomeLifestyle

Asma: o que é, sintomas, causas, tipos e tratamento

Asma é uma doença respiratória crônica caracterizada pela inflamação e estreitamento das vias aéreas, além do aumento da produção de muco, resultando em sintomas como falta de ar, tosse, chiado ou sensação de pressão ou aperto no peito.

A asma, também chamada de asma brônquica ou bronquite asmática, geralmente se inicia na infância, sendo mais comum em pessoas que possuem histórico de asma na família, podendo ser desencadeada por alergias, infecções respiratórias ou até uso de remédios.

O tratamento da asma é feito pelo pneumologista ou clínico geral, para controlar a asma evitando crises e aliviar os sintomas, podendo ser indicado o uso de remédios de acordo com os sintomas e gravidade da doença.


Sintomas de asma

Os principais sintomas de asma são:

  • Falta de ar;
  • Dificuldade para encher os pulmões;
  • Tosse, especialmente à noite;
  • Sensação de pressão ou aperto no peito;
  • Chiado ou ruído ao respirar;
  • Cansaço excessivo.

Esses sintomas costumam surgir de forma repentina ou após a pessoa se expor a algum fator ambiental que cause alteração nas vias respiratórias.

No caso de bebês, para identificar os sintomas de asma, os pais podem encostar o ouvido no peito ou nas costas do bebê para verificar se ouvem algum ruído, que pode ser semelhante à respiração dos gatos. Saiba identificar todos os sintomas da asma no bebê.  

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da asma é feito pelo pneumologista ou clínico geral através da avaliação dos sintomas, histórico de saúde e hábitos de vida, além do exame físico através da auscultação pulmonar.

Marque uma consulta com o pneumologista na região mais próxima:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Pneumologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.



Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Além disso, o médico deve fazer também um exame de oximetria, colocando um aparelho em um dos dedos da mão para medir a quantidade de oxigênio no sangue ou solicitar uma gasometria arterial.  

Para confirmar o diagnóstico de asma, o médico deve solicitar outros exames, como espirometria, testes de broncoprovocação, raio X de tórax ou tomografia computadorizada. Saiba mais sobre os exames para diagnosticar a asma.  

Possíveis causas

As causas da asma ainda não são muito bem esclarecidas, no entanto, acredita-se que ocorra devido a uma combinação de fatores genéticos e ambientais, como:

  • Alergias a ácaro, mofo, pólen, plantas, pelo de animais, ou fezes, saliva ou partes do corpo de baratas;
  • Alergias alimentares, como camarão, frutos secos, cerveja, vinho ou conservantes como sulfitos;
  • Mudanças climáticas;
  • Infecções respiratórias, como gripes, resfriados ou sinusite crônica;
  • Hábito de fumar ou estar em ambientes que tenham muita fumaça ou poeira;
  • Prática de atividade física muito intensa;
  • Estresse ou emoções fortes;
  • Doença do refluxo gastroesofágico.

Além disso, o uso de remédios anti-inflamatórios não esteroides, como ácido acetilsalicílico, ibuprofeno ou naproxeno, por exemplo, podem desencadear crises de asma.

A asma não é contagiosa, ou seja, não é transmitida de pessoa para pessoa, no entanto filhos de pessoas asmáticas têm maiores chances de desenvolver asma em qualquer fase da vida.

Tipos de asma

Os tipos de asma são classificados de acordo com sua causa, e incluem:

1. Asma alérgica

A asma alérgica, também chamada de asma atópica, é o tipo mais comum de asma, causada pela exposição a substâncias alérgicas que, quando são inaladas, desencadeiam as crises.

2. Asma não alérgica

A asma não alérgica, também chamada de asma intrínseca ou asma não-atópica, é o tipo menos comum de asma, geralmente se desenvolve na idade adulta, sendo mais comum em mulheres, podendo ter sintomas mais graves.

Esse tipo de asma geralmente é causada por fatores emocionais, ansiedade, estresse, calor ou frio excessivos, infecções respiratórias, tabagismo ou atividades físicas.

3. Asma induzida por exercício

A asma induzida pelo exercício, também chamada de broncoconstrição induzida pelo exercício, é causada pelo estreitamento das vias aéreas durante a atividade física ao inspirar o ar mais seco do que o ar que está nos pulmões.

Esse tipo de asma causa sintomas semelhantes ao da asma, em pessoas que não têm o diagnóstico de asma. Saiba identificar os sintomas da asma induzida pelo exercício.  

Geralmente, os sintomas da asma induzida pelo exercício iniciam-se alguns minutos após iniciar a atividade física e melhoram cerca de 10 a 15 minutos após interromper os exercícios.

4. Asma sazonal

A asma sazonal é um tipo de asma alérgica que pode surgir na primavera, verão ou outono,  que são épocas do ano em que existe maior quantidade de substâncias alergênicas no ar, como poeira ou pólen, desencadeando as crises de asma.

5. Asma ocupacional

A asma ocupacional é considerada um tipo de asma alérgica, pois ocorre devido à exposição a substâncias no ambiente de trabalho, como fumaça, gases, pós ou poeiras, por exemplo.

Esse tipo de asma pode se desenvolver na idade adulta, e é caracterizado por surgimento dos sintomas da asma no ambiente de trabalho, mas que melhoram nos dias em que a pessoa não está no trabalho.

6. Asma eosinofílica

A asma eosinofílica é um tipo de asma grave, causada por um aumento da quantidade de glóbulos brancos no sangue, chamados eosinófilos, que fazem parte do sistema de defesa do organismo combatendo infecções bacterianas.

O aumento da quantidade de eosinófilos, pode causar uma reação inflamatória e inchaço das vias aéreas e do sistema respiratório, levando ao surgimento dos sintomas, e embora seja um tipo de asma raro, as crises são mais graves.

7. Asma induzida por aspirina

A asma induzida por aspirina é um tipo de crise de asma que ocorre após a ingestão de ácido acetilsalicílico (aspirina) ou qualquer outro anti-inflamatório não esteróide, como ibuprofeno ou naproxeno, por exemplo.

Esse tipo de asma pode surgir em pessoas diagnosticadas com asma, ou que tenham fatores de risco como sinusite crônica, pólipos nasais, ou congestão nasal recorrente.

A causa exata do porque os anti-inflamatórios não esteroides levam ao surgimento dos sintomas de asma ainda não é totalmente conhecido, mas acredita-se que seja devido a diminuição de substâncias inflamatórias no corpo, como prostaglandinas e tromboxanos.

Como resultado, o organismo aumenta a produção de substâncias pró-inflamatórias chamadas leucotrienos, o que pode causar exacerbação da asma ou crises de asma.

Como é feito o tratamento

O tratamento da asma deve ser orientado pelo pneumologista ou clínico geral, que pode indicar o uso de remédios para aliviar a inflamação nas vias respiratórias.

Para controlar a asma e evitar crises, o médico pode indicar bombinhas para asma, como beclometasona ou salmeterol, que devem ser usados diariamente. Veja como usar a bombinha para asma.  

Já para crises de asma, o médico pode recomendar uso de remédios, como salbutamol, fenoterol ou brometo de ipratrópio, usados na forma de bombinha ou gotas para inalação, ou ainda corticoides na forma de comprimidos, como a prednisona ou prednisolona, por exemplo. Confira todos os remédios que podem ser indicados para a asma.  

Crise de asma o que fazer

A crise de asma é uma condição grave em que os sintomas são intensos, podendo causar respiração muito rápida, tontura, confusão mental, dificuldade para falar, lábios ou dedos azulados, ansiedade, pânico ou desmaio. 

Em bebês, outros sintomas de crise de asma são sonolência, tosse constante e dificuldade para comer.

Quando a pessoa está em uma crise de asma é recomendado que o medicamento, receitado pelo médico, seja utilizado o mais rápido possível e que a pessoa fique sentada com o corpo levemente inclinado para frente.

Quando os sintomas não passam, é recomendado que seja chamada uma ambulância ou que se vá para o hospital mais próximo imediatamente. Veja com mais detalhes o que fazer numa crise de asma.  

Como prevenir crises de asma

Para prevenir crises de asma é importante:

  • Usar os remédios para asma corretamente, conforme indicado pelo médico;
  • Ter a bombinha de asma sempre perto, na bolsa, mochila ou pasta;
  • Evitar o uso de remédios por conta própria, especialmente os anti-inflamatórios não esteroides;
  • Evitar locais muito úmidos e com mofo; 
  • Retirar os bichinhos de pelúcia, cortinas e tapetes da casa;
  • Limpar diariamente a casa com pano úmido, sem usar produtos com cheiro forte;
  • Guardar travesseiros e colchões em capas antialérgicas;
  • Colocar os colchões e travesseiros no sol sempre que possível;
  • Trocar os travesseiros e as almofadas periodicamente porque acumulam ácaros;
  • Trocar os cobertores por edredões ou evitar usar cobertores com pelo;
  • ​Trocar a roupa da cama todas as semanas e lavá-la em água a 130ºC.

Além disso, a prática regular de exercícios físicos também pode ser indicada pelo médico para o tratamento e controle da asma porque melhora a capacidade cardíaca e respiratória do indivíduo. 

A natação é um bom exercício para asma porque fortalece os músculos respiratórios, no entanto, toda a prática esportiva é indicada e, por isso, o asmático poderá escolher aquela que mais gosta, após avaliação médica.

Além disso, veja como a alimentação pode ajudar a aliviar os sintomas de asma:

youtube image - O que comer para asma

Fonte: Tua Saúde!

COMMENTS